Obama diz que transição no Egito deve começar "agora"




WASHINGTON - O presidente americano, Barack Obama, disse nesta terça-feira que a transição no Egito deve começar "agora", e indicou que o líder egípcio, Hosni Mubarak, reconhece a necessidade de mudança no país, após ambos terem conversado por cerca de meia hora.

Mubarak "reconhece que o status quo não é sustentável e que é necessária uma mudança", afirmou o presidente dos Estados Unidos, em breves declarações feitas na Casa Branca e transmitidas pela televisão.

As declarações de Obama são feitas depois deMubarak anunciar nesta terça-feira, em mensagem televisionada à nação, que não irá concorrer às eleições presidenciais programadas para setembro deste ano. "O que está claro, e o que indiquei esta noite ao presidente Mubarak, é minha convicção de que uma transição ordenada (...) deve ser pacífica e deve começar agora", ressaltou Obama.

O americano ressaltou ainda que o processo deve incluir "um amplo espectro" de vozes egípcias dos partidos de oposição e deve levar a eleições "livres e justas".

Obama assegurou que os Estados Unidos continuarão ajudando o Egito, um país ao qual descreveu como aliado e amigo. "Estamos prontos para oferecer o auxílio que for necessário para ajudar o povo egípcio a enfrentar as repercussões desses protestos", afirmou o presidente.

Obama destacou que "somente os egípcios podem escolher seus líderes", mas enfatizou que os Estados Unidos continuarão defendendo direitos universais, como o da liberdade de expressão no país. Para o líder americano, "não é o papel de nenhum outro país" determinar quais serão os futuros líderes do Egito. "Só o povo egípcio pode fazer isso".

Estima-se que pelo menos 1 milhão de pessoas participaram nesta terça-feira de manifestações no Egito para pedir o fim do Governo de Mubarak, que liderou o país durante as últimas três décadas.

Reações:

0 comentários: